Ecologia e Desenvolvimento Sustentável

ECOLOGIA E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL,

QUESTIONAMENTO JUVENIL

 

O tema da ecologia, sem dúvida, desperta interesse na juventude. Grande parte da discussão girou em torno do tema proposto por Bento XVI por ocasião da Jornada Mundial pela Paz para 2010: “Se queres cultivar a paz, tenha cuidado com a Criação”. Apareceram as seguintes contribuições:

 

a.     Interferência da Ecologia e do Desenvolvimento Sustentável nos/as jovens

                                                                         

-         Não se pode pedir aos jovens que respeitem o meio ambiente se na família e na sociedade não são respeitados. O livro da natureza é único, tanto no que concerne ao ambiente como ao que corresponde no campo da ética pessoal, familiar e social. Portanto, os ataques contra a vida humana devem ser considerados como ataques contra a natureza. Contudo, uma determinada concepção antropológica nos está transmitindo, há anos, que mutilar os bosques é um ato criminoso, enquanto que acabar com uma vida humana incipiente seria um direito.

 

-         Muitas vezes perdemos de vista que a criação é um dom de Deus. Vemos que todos os recursos tem valor monetário e são manejados através de poucas mãos que destroem sem medir as consequências. Este resultado será pago pelas gerações futuras. Como jovens, é vital entendermos que o cuidado da ecologia passa por questões básicas como diminuir o consumo de aparatos eletrônicos, cuidar do acesso à água potável, entre outras coisas, que favoreceriam nossa vida neste planeta.

 

-         Já há lugares que sofrem os danos causados ao meio ambiente: por um  lado, secas nunca vistas; por outro, inundações. Os rios buscam seu caminho e nós os temos invadido.

 

-         Se não preservamos e conservamos o ambiente que temos, neste momento, os que vêm atrás de nós não terão nada para contemplar. Em minha terra ainda se podem ver grandes rios, mas agora com muita preocupação, já que invadimos, em nome do progresso, os canais naturais deles.

 

b.     Protagonismo dos jovens na Ecologia e no Desenvolvimento Sustentável

 

-         A ecologia é um tema de todos. Todos somos responsáveis dos desastres praticados com os recursos naturais.

 

-         Os jovens de hoje são a ecologia de amanhã.

 

-         Dos jovens de hoje dependerá a mudança da relação dos seres humanos com o meio ambiente, já que muitos adultos não tiveram uma educação baseada no cuidado com o meio ambiente e seus recursos. Por isso os jovens devem aproveitar, ao máximo, as diferentes fontes do conhecimento humano sobre a ecologia; colaborar – cada um/a com seu grão de areia “verde” - e ajudar as organizações ambientais para lutarem contra a Mudança Climática e suas consequências que atentam contra NOSSAS vidas e as vidas que VIRÃO. Nós, jovens de hoje, somos responsáveis em conseguir reparar o  grande mal que as gerações anteriores fizeram à  Mãe Terra que nos deu tanto e para a qual devolvemos tão pouco. Somos nós que podemos fazê-lo. Somos nós que devemos lutar por isso; somos nós que devemos querer ver as nossas futuras gerações ter água limpa, ar puro, bosques, praias, montanhas e vales, etc. Se nós não o fizermos, ninguém mais poderá fazer nada porque o tempo se acaba e a Sociedade de hoje. As décadas anteriores aos anos 80, não estão preparadas nem educadas para isso. Noto-o na minha família tão pouco interessada no que vai acontecer no futuro, talvez porque acreditem que a água nunca se acabará, que o ar sempre se vai renovar e que as selvas nunca vão terminar de ser cortados. Eles foram educados assim e, aos 30 anos, é muito difícil mudá-los. Por isso, somos nós que devemos mudar, a partir de nós, as próximas gerações com nossos hábitos  e costumes.

 

-         A maioria dos jovens tem grande sensibilidade com a ecologia. Muitos têm buscado formas de associar-se para cuidar da natureza e dos espaços naturais.

 

c.      Dinamismos e obstáculos que geram a Ecologia e o Desenvolvimento Sustentável na praxis da Pastoral Juvenil

 

Dinamismos:

-         É necessário animar-nos a falar de uma sã e equilibrada ecologia. Ajudar as novas gerações a cuidarem, a respeitarem as leis naturais e a amarem a natureza.

 

-         O Papa rechaça as posturas extremas, isto é, aquelas que tomam a parte pelo todo, as que consideram o homem, ou melhor dito, a alguns homens, como soberanos sem limite dos recursos da terra, e as que reduzem a condição humana a mero biologismo, um elemento a mais da natureza submetido, como outros, à “Mãe Terra”.

 

-         O Papa insiste na relação existente entre ética e meio ambiente, que não se refere somente a um mau uso dos recursos naturais. O Santo Padre acentua: “A degradação da natureza está estreitamente relacionada com a cultura que modela a convivência humana. Por isso que dizem que “quando se respeita a ecologia humana na sociedade, também a ecologia ambiental se beneficia”.

 

-         Não construirão a paz nem um mundo melhor os que não respeitam a vida humana desde o nascimento até a morte, embora creiam que o estejam fazendo para cumprir, até a última vírgula, a profusa legislação ambiental. As leis são para o homem, não para a natureza. Quem fere a dignidade humana, não deveria desculpar-se dizendo que o faz pelo bem da natureza. Nunca poderão convencer-nos de que os direitos da “Mãe Terra” são superiores aos direitos dos seres humanos. 

 

-         O tema do Papa despertou questionamentos e desejos de comprometer-se a respeito. Contudo, reconheço que há dificuldades para assumir tais compromissos.

 

-         Necessitamos de uma melhor natureza; por isso cuidemos dela e sejamos testemunhas para que outros também cuidem dela e assim o nosso planeta ou a nossa humanidade seja melhor e tenhamos melhor qualidade de vida, tanto os jovens como os adultos e as crianças, todos juntos. Cuidando do meio ambiente teremos melhor qualidade de vida.

 

-         Não é só plantar árvores, porque, sem cuidado, as árvores não crescem.

 

-         O ambiente e seu cuidado é responsabilidade de todos, se queremos um ambiente sadio onde se respire um ar puro e onde se possa estar. Toca-nos cuidar e fazer que outros também cuidem e o respeitem, dando exemplo para os que não o fazem e assim criar consciência naqueles que o destroem.

 

Obstáculos

-         É preocupante que tenha um maior reconhecimento social de qualquer pessoa ou grupo que pretenda salvar uma espécie ameaçada e que outros pretendam reduzir o número de abortos.

 

-         Estamos numa sociedade que tende a impor o individualismo e o hedonismo, o que faz que a natureza passe a ser um tema que não responde a uma satisfação/beneficio para o presente imediato, ficando assim um discurso ingênuo e romântico para muitos.

 

-         Não há consciência do mal causado à natureza porque não se a vê sofrer.

 

-         Somente geram comoção os informes sobre algum desastre natural e se culpa, por isso, aos que “podem fazer algo”, livrando a sua própria consciência.

 

-         Surpreende ver como há pessoas que não se interessam pelo tema ambiental.

 

d.     Protagonismo da Pastoral Juvenil na Ecologia e no Desenvolvimento Sustentável

 

-         Em alguns colégios estão-se incentivando ações que despertam o interesse e o compromisso dos estudantes com o papel reciclado, plásticos etc. E são, em muitos casos, mais conscientes do dever de cuidar que os adultos.

 

-         É necessário implementar ações para preservar e cuidar do ambiente, não somente pensando no futuro e em quem desfrutará deste maravilhoso planeta, mas também pensando no presente, nos  que ainda habitamos: seres humanos, animais, árvores, etc…

 

-         A PJ deve apropriar-se desta preocupação que existe no coração de muitos de nossos meninos/as. Este planeta é a casa que Deus nos regalou, mas com o passar do tempo o temos sujado, maltratado e, pouco a pouco, o estamos destruindo. Tomemos consciência de que somente unidos com uma só voz e com uma só ação poderemos combater a ignorância do mal que estamos cometendo.

 

Síntese a partir dos textos, debates, histórias de vida de dos/as jovens.

Elaborado por Norelis Alvarez.

 

Comments