Escuta como Caminho de Participação e Transformação

É na concreta manifestação do encontro e reencontro que reacendemos desejos, histórias e compromissos. Estamos em tempos em que às necessidades dos/as jovens da Igreja da América Latina nos mobiliza a sair do lugar, ir ao encontro e ESCUTAR. A necessidade da ESCUTA nos remete ao questionamento de como fazer? Quais os elementos fundamentais para que esta prática seja significativa na vida dos/as envolvidos/as neste processo? Sugiro aqui um caminho pedagógico em quatro eixos:

·         Escuta a partir e dentro do processo de formação integral da PJ

Ao escutar os/as jovens estar atento/a ao que eles e elas estão dizendo de si mesmos,das suas realidades em momentos gritantes de aspirações e sonhos, capacidades e limites, decepções e alegrias no concreto da existência humana nas demandas deste tempo contemporâneo.

·         Escuta a partir da emancipação/autonomia dos/as jovens em vista da transformação social e da realidade histórica.

É na dinâmica exigente da transformação que colocamos ouvidos e corações a disposição para a possibilidade da transformação, e não apenas mudanças pessoais de posturas, aquisição de hábitos ou expectativas de desejos pessoais a serem realizados, mas na construção de novas relações de gênero, de cuidado com o planeta, na promoção da paz e na participação de movimento sociais, pastorais da juventude e grupos que também colaboram para que tenhamos mais vida.

·         Escuta a partir da idéia de diálogo.

É na palavra ação-reflexão que o concreto se faz, nesta reflexão o dialogo é uma exigência existencial, porém se não há um profundo amor, a possibilidade da escuta pode se tornar uma atitude autoritária e centralizadora. Dialogar com os/as jovens significa ama-los na sua integridade, sem preconceitos, percebendo valores e troca de saberes, sendo companheiros/as na pronuncia de um novo mundo. O lugar do dialogo deve ser de encontro e comunhão percebendo em si e no outro/a a vocação de ser mais.

·         Escuta a partir do movimento de Jesus

Aqui, especificamente estou a referenciar o caminho de diálogo e transformação na comunidade lucana de Emaús (Lc. 24, 13-35). Aproximar, olhar, caminhar, ouvir, dizer da Boa-Nóticia, das possibilidades de esperanças, de mudanças de vida, de crença na pessoa e seu poder de transformação, animar para as lutas do dia-a-dia, nas relações com a família, amigos/as e namorados/as, nos espaços de convivência e participação como as escolas, universidades, trabalho, igrejas e demais grupos de atuação juvenis.

O que podemos fazer com as ESCUTAS que ao longo do caminho experimentamos, é o que Jesus fez, que depois de participar da mesma comida envia os discípulos em missão. É preciso que possamos mobilizar os/as jovens que são acompanhados/as por nós, e isto só vamos fazer se no exercício exigente da ESCUTA sentirmos os nossos corações arderem.

 

 

Alessandra Miranda de Souza Proto

Assessora da Pastoral da Juventude do Regional Centro-Oeste

Secretária executiva da Casa da Juventude Pe. Burnier.

 

Comments